Todos os artigos

FAMILIAR SIM, MAS COM PROFISSIONALISMO: características das empresas familiares

24/10/2017 às 14:27
FAMILIAR SIM, MAS COM PROFISSIONALISMO: características das empresas familiares        As empresas familiares, constituídas em sua maioria por membros de uma mesma família são a forma predominante de empresa em todo o mundo: aproximadamente de 65 a 80%; já no Brasil elas correspondem a 90% das empresas no país. Apesar de ocupar uma parte tão grande na economia mundial e de lidarem com os mesmos problemas rotineiros de uma empresa comum, elas possuem uma dinâmica um tanto diferente. 
       Para a maior parte das pessoas, as duas coisas mais importantes em suas vidas são suas famílias e seu trabalho. É fácil compreender o poder das organizações que combinam ambas as coisas. Todavia, os problemas surgem porque as mesmas pessoas têm que cumprir obrigações familiares e de gestão. Além disso, a empresa em si precisa operar de acordo com práticas e princípios de negócios sadios, satisfazendo ao mesmo tempo as necessidades familiares de emprego, identidade e renda. 
       Em consequência das particularidades acima descritas, estudiosos de empresas familiares como sistemas propuseram a criação do modelo de três círculos, o qual descreve o sistema da empresa familiar como três subsistemas independentes, mas superpostos: gestão, propriedade e família. 
       Os círculos da gestão, dos proprietários e da família, entretanto, não transparecem muitos dos mais importantes dilemas enfrentados pelas empresas familiares que são causados pela passagem do tempo, e envolvem mudanças na organização, na família e na distribuição da propriedade.
       Inclusões e/ou alterações são normais e aceitáveis a partir do momento em que se tornam efetivas contribuições para o desenvolvimento da empresa familiar, ou seja, cruzar a fronteira de membro da família para membro da família proprietário/funcionário é um marco importante. 
       O resultado da adição do desenvolvimento ao longo do tempo aos três círculos é um modelo tridimensional de desenvolvimento da empresa familiar.  Para cada um dos três subsistemas – propriedade, família e gestão/empresa – existe uma dimensão separada de desenvolvimento. Através do conjunto dos três eixos de desenvolvimento de propriedade, família e empresa, o modelo descreve um espaço tridimensional. 
       O empreendimento assume um caráter particular, definido por esses três pontos de desenvolvimento. À medida que a empresa familiar se desloca para o novo estágio em qualquer das dimensões, assume uma nova forma, com novas características. 
       A partir do diagnóstico feito em relação à empresa que está sendo analisada, alguns desafios-chave deverão ser levados em consideração para que a empresa possa se desenvolver de forma estruturada e segura, mantendo o equilíbrio entre as dimensões.Um dos grandes desafios da empresa-familiar é a sucessão, pois, conforme estatísticas, a cada 100 empresas familiares fundadas no Brasil e no mundo, apenas 30 sobrevivem à segunda geração, 15 à terceira e 4 à quarta. 
       Após este diagnóstico, a empresa estará mais preparada para a implantação dos processos internos de gestão e liderança, buscando sempre o equilíbrio entre as dimensões, elemento essencial para o sucesso do negócio.



Dra. Luciane Albuquerque Consultora Sênior

Voltar